Florianópolis: os encantos da ilha da magia

Turismo » Santa Catarina, Florianópolis | Fonte: Conhecendo o Brasil, Editoria Férias Brasil
O título de Ilha da Magia atribuído à Florianópolis faz cada vez mais sentido. Capaz de reunir natureza e patrimônio histórico preservados com infraestrutura de cidade grande, a capital enfeitiça tanto os turistas que muitos acabam voltando... para ficar. São apenas 436,5 quilômetros quadrados, porém, capazes de abrigar praias paradisíacas, lagoas, dunas, trilhas em meio à Mata Atlântica, casario colonial, sítios arqueológicos, gente bonita e gastronomia de primeira. Haja encantos!

Ilha do Campeche

Única ilha do país tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional, Campeche abriga praias de águas transparentes. A maior riqueza, porém, são as dezenas de inscrições rupestres protegidas em sítios arqueológicos e acessíveis por trilhas com acompanhamento de guias. A melhor maneira de chegar à ilha é através dos barcos de pescadores que saem da praia de Armação, no Sul de Floripa. No verão, escunas partem da Barra da Lagoa (Leste). Não esqueça a máscara e o snorkel para nadar em meio aos peixes.

Passeio de escuna pelas ilhas e fortalezas

Dois roteiros conduzem a imponentes e preservados fortes da região a bordo de escunas. O passeio que parte da Ponte Hercílio Luz é o mais completo – tem seis horas de duração e faz paradas no Forte de Santa Cruz de Anhatomirim e na Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, passando ainda pela baía dos Golfinhos. Já o que tem início na praia de Canasvieiras não inclui Ratones, durando cinco horas. Ambos têm parada para almoço.

Praias

Uns dizem que Florianópolis tem 42 praias. Outros afirmam que são cem. O que importa é que a ilha oferece opções para todos os turistas. Ao Leste, o point é dos surfistas e da paquera que rola solta nas praias Mole e da Joaquina. No Norte estão as concorridas praias Brava, também reduto do surf; e Jurerê Internacional, com “paradores” – como agora são chamadas as barracas de praia -, bares e boates. A garotada endinheirada faz a festa no por do sol em casas como Café de la Musique, Parador P12 e Taikô. Já ao Sul, as rústicas vilas de pescadores atraem quem busca paz, sossego e bons restaurantes como os das praias de Pântano do Sul e Ribeirão da Ilha.

Lagoa da Conceição

Situada no centro geográfico da ilha, a Lagoa da Conceição não é famosa apenas por ser o point noturno de Florianópolis. O cartão-postal é emoldurado por construções antigas (Canto dos Araçás), vilas de pescadores com bares e restaurantes (Canto da Lagoa), núcleos de artesanato, escolas de windsurfe… Para apreciar de cima os 15 quilômetros quadrados do espelho d´água e seus arredores siga para o mirante do Morro da Lagoa ou para o restaurante Ponto de Vista, depois da Praia Mole – a paisagem do deck é perfeita.

Mirantes

Os muitos morros que emolduram Florianópolis ganharam status de mirantes naturais. Além de descortinarem belas vistas, ajudam a compreender a geografia da ilha. Um dos mais procurados é o Morro da Cruz, no Centro. De fácil acesso, exibe as baías Norte e Oeste com a Ponte Hercílio Luz ao fundo. Vá no pôr-do-sol. Já do Morro da Lagoa aprecia-se as praias da Barra da Lagoa, Galheta e Mole, além da Lagoa da Conceição.

Centro Histórico

Um passeio pelo Centro Histórico de Florianópolis não se resume a visitar construções e apreciar fachadas de diferentes estilos arquitetônicos. O tour pelos arredores da Praça XV de Novembro é garantia de boas compras de artesanato em cerâmica, encontrado na Casa da Alfândega; e de mesa farta: o Mercado Público Municipal é repleto de bares que servem petiscos típicos – reserve a manhã de sábado para sentar no Box 32 ao lado dos manezinhos. Esbalde-se com bolinhos de bacalhau, pastéis de camarão e, claro, ostras frescas molhadas no champanhe. Para acompanhar, cachaça artesanal com aroma de gengibre.

Avenida Beira Mar Norte e Ponte Hercílio Luz

Ponto de encontro dos que buscam a boa forma, a Avenida Beira Mar Norte ganha vida no final do dia. É durante o pôr-do-sol que o movimento de esportistas aumenta, os bares e restaurantes abrem suas portas e a Ponte Hercílio Luz é acesa. Embora interditada para o trânsito de automóveis e pedestres desde 1982, a ponte é o cartão-postal de Florianópolis. A obra foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico e é considerada uma das maiores estruturas pênseis do mundo.